Forza Horizon 3 é um jogo de corrida de mundo aberto que constituí um dos vários lançamentos da série de renome “Forza”, sendo o terceiro “Forza Horizon” a ser lançado e o nono jogo “Forza”. Anunciado publicamente no dia 13 de junho de 2016 durante a E3, foi depois lançado no dia 23 de setembro de 2016 para quem comprou a versão limitada (“Ultimate Edition”) e em 27 de setembro para os restantes compradores. Desenvolvido pela “Playground Games”, juntamente com a “Turn 10 Studios” e publicado pela “Microsoft Studios” para a Xbox One e para Windows 10, sendo possível jogar com jogadores de ambas as plataformas. Foi nesta mesma E3 que o jogo recebeu vários prémios incluindo o prémio de “Melhor Jogo de Corridas” do Ano de 2016.

Encontra-se disponível para comprar quer em lojas físicas, quer na loja da Microsoft (Microsoft Store, no PC) ou em revendedores de chaves de jogos (Kinguin, G2A, entre outros…).

HISTÓRIA

A personagem do jogador é apresentada como o vencedor do festival “Horizon” que se realizou no Sul de França, fazendo uma ligação com o jogo anterior (Forza Horizon 2) e que vem agora para a Austrália, onde está a decorrer um novo festival “Horizon”, procurando ganhar “fama e fortuna” (mais uma vez).

A história irá, depois, revolver-se à volta do progresso do jogador no festival, com o desbloqueio de novas corridas, desafios de exploração livres e novos “locais de festival” (onde o jogador pode escolher, modificar, personalizar os seus carros e fazer a compra de novos carros). Existe uma boa sensação de progressão, em que cada corrida parece que contribui para aumentar a reputação da personagem, o que desbloqueia novas possibilidades ao jogador, tais como ganhar novos carros, inclusive alguns deles raros, prémios em créditos do jogo etc…

GRÁFICOS

Os gráficos são um dos pontos fortes deste jogo e fazem com que o jogo se destaque em relação a outros jogos de corrida em mundo aberto no mercado.

Os detalhes são bem visíveis, quer nos carros, quer nos ambientes e a iluminação adequa-se perfeitamente ao jogo, transmitindo aquela sensação que seria expetável dum Verão no Sul da Austrália, parecendo por vezes que estamos mesmo lá a observar aquela paisagem especifica. Estes detalhes gráficos todos obrigam a que para ter esta fidelidade gráfica seja necessário um sistema muito bom e o jogo exige muito do sistema, apesar de que, após vários “patches”, já está muito mais otimizado do que no início.

A representação dos vários ecossistemas que estão presentes nesta região da Austrália está muito bem-feita, a vegetação está muito realista e tudo desde as praias até ao deserto é bastante pormenorizado. As vilas e a cidade também têm um aspeto muito característico da área representada, são bastantes fiéis à arquitetura local e ajudam a que o jogador fique mais “imerso” na experiência.

Uma screenshot representativa do ambiente e dos gráficos do jogo. ©Digital Thinking

SOM

Uma das partes mais importantes dum jogo de corrida é o som que nos é transmitido, ou do carro em si (motor), ou do contacto dos pneus na estrada. Nesse aspeto, Forza Horizon 3 é muito detalhado, com cada carro tendo um som distinto e os efeitos sonoros ao conduzir são muito úteis (e distintos) para percebermos as condições em que estamos a conduzir (por exemplo, se o carro estiver a deslizar devido à falta de tração com a estrada).

A banda sonora é constituída por várias músicas dos mais variados géneros (desde música eletrónica até música rock e metal). Estes géneros musicais dividem-se pelas vários estacões de rádio existentes no jogo.  Existe até uma estação de rádio, a “Groove Music”, que permite ao jogador pôr as suas próprias músicas através duma playlist com músicas pessoais baseada na “Microsoft OneDrive”. No entanto, este serviço é pago e só existe um curto período de tempo de teste para o jogador o poder experimentar e decidir se quer pagar ou não.

JOGABILIDADE

A condução no jogo pode ser feita de diversas maneiras, ou com assistências para torná-la mais fácil ou sem qualquer ajuda [ABS, TCS (controlo de tração), ESP (controle de estabilidade)]. No entanto, ao usar assistências, o bónus extra de recompensa de créditos no final de cada corrida é menor, o que incentiva o jogador a tentar jogar com o mínimo de assistências possíveis de forma a tentar maximizar os ganhos (para poder progredir mais rapidamente).

Sendo um “arcade racing game”, as físicas não são muito realistas (não são ao nível dos “Forza Motorsports”), porém ainda há algum realismo na maneira como a suspensão do carro se comporta perante o terreno em que anda ou após fazer um salto. Também ao fazer as curvas é notável o efeito da suspensão ao comprimir dum lado e estender do outro (deslocação do centro de massa do carro).

Uma screenshot de uma das ruas da cidade principal do jogo. ©Digital Thinking

CONCLUSÃO

Forza Horizon 3, em comparação ao seu predecessor, introduz novas mecânicas (Modo de Drone entre outros…) que contribui para dar mais dinâmica ao jogo e evitar que seja muito repetitivo. As melhorias apesar de muito positivas, não são muitas e o jogo continua muito apegado à base restrita do jogo anterior. Mesmo assim, é um ótimo jogo, com uma “atmosfera” muito cativante e única e recomendo-o fortemente a quem gostar de uma combinação de uma jogabilidade ótima e uns gráficos excecionais.

Gonçalo Chaves
O mundo do gaming e da tecnologia foi, desde sempre, uma grande inflluência na minha vida, mudando muitas vezes o meu ponto de vista acerca do mundo e da forma como encaramos as coisas. Este gosto incansável por tudo (ou quase tudo) relacionado com tecnologia e a inovação tecnológica é um dos pilares que me move e que origina os vários artigos presentes aqui no site.

Comentários

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.